Judgement of the Magistrates of the Court, In the Matter of The People v. Bergoglio et al (Case Docket No. 18072014-002)

In the Matter of The People v. Bergoglio et al (Case Docket No. 18072014-002)
Judgement of the Magistrates of the Court, including the majority decision with with one dissenting opinion

Issued in Chambers Friday, 18 July, 2014england

The unanimous Judgement of the Court is that the three primary defendants Jorge BERGOGLIO, Adolfo PACHON and Justin WELBY have been convicted and are guilty as charged of aiding and abetting Crimes against Humanity, including murder and human trafficking, and of personal involvement in those crimes. Their guilt has been ably presented and proven beyond any reasonable doubt by the Prosecution.

The refusal of the Defendants to respond to a lawful Summons, to deny or refute the charges against them, or to present a counter case in their own defense, compelled the Court to consider their silence as a de facto pro confesso plea in which their guilt was established by their refusal to enter a plea. Precedent has established that pro confesso – which is the refusal of a defendant to plea in a case of profound importance – provides the basis for the lawful conviction and deposing of rulers and responsible heads of church and state. (The People in Parliament v. Charles Stuart, January 3, 1649)

In this precedent, the High Court established by the Parliament of England ruled that the silence of heads of church and state when accused of crimes against their own people amounts to a confession by the accused of all of the charges made against them (January 22, 1649).

One of our colleagues offers a dissenting opinion.

While concurring with the judgement that all three Defendants are guilty as charged, the dissenting Magistrate argues that pro confesso applies only when no other means exist to prevent such rulers from perpetrating tyranny and wars of aggression on their own people and their liberties, as was so in the historical case cited.

The dissenting colleague argues that by convicting the Defendants primarily under a pro confesso precedent, their actual guilt for the crimes cited can be construed to have been established according to a legal technicality. To quote our colleague’s statement,

“The overwhelming guilt of these leaders for unspeakable crimes demands that we convict them not simply on the basis of a technicality but according to the evidence alone, so that their guilt is crystal clear to the world and to posterity.”

The Court has taken into account this dissenting opinion in formulating its final judgement.

Accordingly, it is the unanimous judgement of the Court that:

1. The Defendants Jorge BERGOGLIO, Adolfo PACHON and Justin WELBY are guilty as charged on two counts: of organizing, aiding and abetting Crimes against Humanity, including murder and human trafficking, and of personally participating in the routine and ritual rape, torture and murder of children.

2. The Defendants are sentenced to life imprisonment without the possibility of parole or pardon, and to the forfeiture of their assets, property and authority.

3. The sworn Sheriffs of the Court and their affiliated Direct Action Units, established by the Court on June 1, 2014, are ordered to immediately arrest and imprison the Defendants at facilities provided by the Court, and to seize their property and assets. The public is asked to assist the Sheriffs in this task. An open ended International Citizens’ Arrest Warrant will be issued by the Court against the convicted persons within 48 hours of this judgement.

4. The Court will produce a full public statement making it clear that the basis for its conviction of the Defendants lay entirely in the hard evidence of their guilt, and that their refusal to plea, and hence the pro confesso judgement, was a contributing factor but not the basis of the guilty sentence.

5. In addition, to emphasize that this conviction is not a limited one aimed only at the top figureheads of murderous regimes, as of September 1, 2014, the Court will establish an ongoing Permanent Inquiry to investigate and prosecute others involved in the crimes proven in this case and contained in the permanent Court record. This Inquiry shall be entitled The Permanent Commission into Child Trafficking and Ritual Sacrifice and will have the power to subpoena and arrest, and adjudicate cases before the Court. The Commission will be international in scope, have no time restriction, and will seek cooperation from governments, international agencies and police forces with the aim of prosecuting and stopping forever the trafficking, ritual torture and murder of children.

6. To protect this Commission, its witnesses, officers and evidence, the Court record from the case of The People v. Bergoglio et all will remain sealed for now, along with the identity of the witnesses and Court officers, with the exception of that permitted by the special and unanimous authorization of the Court. The Jury members who were involved in proceedings thus far are relieved of their duties and thanked for their efforts.

7. This concludes the case of The People v. Bergoglio et al.

Issued by the Judicial Council of The International Common Law Court of Justice, Brussels
19 July, 2014

admin

 

pa Francis considerado culpado de tráfico de crianças, estupro, assassinato Domingo, 20 de julho, 2014 07:28

Fonte: http://beforeitsnews.com/celebrities/2014/07/pope-francis-found-guilty-of-child-trafficking-rape-murder-2465728.html



Julgamento dos Magistrados da Justiça, em matéria de O Povo v Bergoglio et al (Processo Rol n º 18072014-002)

No Matter of The People v Bergoglio et al (Processo Rol n º 18072014-002) Julgamento dos Magistrados da Justiça, incluindo a decisão da maioria com com uma opinião divergente

Emitido em Chambers sexta - feira, 18 de julho, 2014england

O julgamento unânime do Tribunal é que os três réus primários Jorge Bergoglio, Adolfo Pachón e Justin Welby foram condenados e são culpados da acusação de cumplicidade crimes contra a humanidade, incluindo assassinato e tráfico de seres humanos e de envolvimento pessoal nesses crimes. Sua culpa foi habilmente apresentada e comprovada para além de qualquer dúvida razoável, pelo Ministério Público.

A recusa dos réus para responder a uma intimação legais, para negar ou refutar as acusações contra eles, ou para apresentar um caso contra a sua própria defesa, obrigou o Tribunal a considerar seu silêncio como de facto pro Confesso fundamento que sua culpa foi estabelecida por sua recusa em entrar um apelo. Súmula estabeleceu que pro Confesso - que é a recusa do réu de impugnar em um caso de profunda importância - fornece a base para a condenação legal e deposição de governantes e chefes responsáveis da igreja e estado. (O Povo no Parlamento v Charles Stuart, 3 de janeiro de 1649)

Neste precedente, o Alto Tribunal, instituído pelo Parlamento da Inglaterra decidiu que o silêncio dos chefes de Igreja e Estado, quando acusadas de crimes contra o seu próprio povo equivale a uma confissão do acusado de todas as acusações feitas contra eles (22 de janeiro de 1649).

Um dos nossos colegas oferece um parecer divergente.

Embora concordando com a opinião de que todos os três réus são culpados da acusação, o magistrado argumenta que dissidentes pró Confesso aplica-se apenas quando não existem outros meios para evitar que tais governantes de perpetrar tirania e guerras de agressão em suas próprias pessoas e suas liberdades, como era então no caso histórico citados.

O colega dissidente argumenta que, ao condenar os réus, principalmente sob uma Confesso precedente profissional, a culpa real para os crimes citados pode ser interpretado como tendo sido estabelecido de acordo com uma tecnicalidade jurídica. Para citar a declaração de nosso colega,

"A culpa esmagadora desses líderes por crimes indizíveis exige que nós não condená-los simplesmente com base em uma questão técnica, mas de acordo com a evidência por si só, de modo que a sua culpa é clara para o mundo e para a posteridade."

O Tribunal teve em conta esta opinião divergente na formulação de seu julgamento final.

Assim, é o julgamento unânime do Tribunal que:

1. Os réus Jorge Bergoglio, Adolfo Pachón e Justin Welby é culpado da acusação por duas razões: de organizar e cumplicidade crimes contra a humanidade, incluindo assassinato e tráfico de seres humanos, e, pessoalmente, participar do estupro de rotina e ritual, tortura e assassinato de crianças.

2. Os réus são condenados à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional ou perdão, e para o confisco de seus bens, propriedade e autoridade.

3. Os xerifes jurados da Corte e sua afiliada Ação Unidades direta, estabelecido pelo Tribunal de Justiça em 01 de junho de 2014, são ordenados para prender imediatamente e prender os Réus nas instalações fornecidas pelo Tribunal, e apreender os seus bens e ativos. O público é convidado a assistir os xerifes nesta tarefa. Um terminou Detenção Cidadãos Internacionais aberto mandado será emitido pelo Tribunal contra as pessoas condenadas no prazo de 48 horas deste julgamento.

4., O Tribunal irá produzir uma declaração pública completa, deixando claro que a base para a sua condenação dos réus estava inteiramente na prova concreta de sua culpa, e que a sua recusa ao pedido e, portanto, o julgamento Confesso profissional, foi um fator contribuinte mas não com base na sentença de culpa.

5. Além disso, para enfatizar que esta convicção não é um limitado visando apenas o início figuras de regimes assassinos, a partir de 01 de setembro de 2014, o Tribunal estabelecerá um curso Consulta Permanente para investigar e julgar os outros envolvidos nos crimes comprovados neste caso e contidas no registro permanente Corte. Este inquérito terá direito a Comissão Permanente para o Tráfico de Crianças e ritual de sacrifício e terá o poder de intimar e prender e julgar os casos perante a Corte. A Comissão será de âmbito internacional, não tenho nenhuma restrição de tempo, e buscar a cooperação de governos, agências internacionais e as forças policiais, com o objetivo de perseguir e parar sempre o tráfico, tortura e assassinato ritual de crianças.

6. Para proteger esta Comissão, as suas testemunhas, policiais e provas, o registro de Tribunal do caso do Povo contra Bergoglio et all permanecerá selado por agora, juntamente com a identidade das testemunhas e oficiais de Justiça, com a exceção de que permitida pela autorização especial e unânime da Corte. Os membros do júri que estavam envolvidos no processo, até agora, são afastados das suas funções e agradeceu por seus esforços.

7. Isto conclui o caso do Povo contra Bergoglio et al.

Emitido pelo Conselho Judicial de The Common Law Tribunal de Justiça Internacional, em Bruxelas 19 de julho de 2014


 

Papa Francis considerado culpado de tráfico de crianças, estupro, assassinato

Domingo, 20 de julho, 2014 07:28

 

/pope654.jpg

 Ontem os réus Papa Francis Bergoglio, católica jesuíta Superior Geral Adolfo Pachon e arcebispo de Canterbury Justin Welby foram considerados culpados de estupro, tortura, assassinato e tráfico de crianças. Cinco juízes do Common Law Corte Internacional de Justiça, em Bruxelas, determinou que os crimes ocorreram recentemente, em 2010. Desde março passado  mais de 48 testemunhas  se apresentaram para depor perante este Tribunal ICLCJ sobre as atividades dos acusados como membros do Nono Círculo Satanic Criança Sacrifício Cult. The Ninth Círculo Satanic Cult foi dito para fazer sacrifícios de crianças em catedrais católicas em Montreal, Nova York, Roma, na Escócia, em Londres, castelo de Carnarvon no País de Gales, um Chateau francês não revelado na Holanda e na católica canadense e escolas residenciais anglicanos indianas em Kamloops, British Columbia e Brantford, Ontário, Canadá. O Nono Círculo Satanic Criança Sacrifício Cult foi acreditado para usar bosques da floresta de propriedade privada em os EUA, Canadá, França e Holanda para os seus "caça humana Partes" para as elites globais, incluindo os membros das famílias reais europeias. Adolescentes foram ditas a ser obtido pela máfia, então despidos, estuprada, caçados e mortos. O Procurador-Geral afirmou. "A Igreja Católica é a maior corporação do mundo e parece estar em conluio com a máfia, os governos, polícias e tribunais em todo o mundo." Duas mulheres adolescentes disse ao Tribunal que o Papa ICLCJ Francis estuprada-los durante a sua participação em sacrifícios de crianças. Outras oito testemunhas confirmaram suas alegações de ser testemunha de estupro e filho sacrifícios. O Nono Círculo Satanic Cult foram ditos ter lugar durante as molas de 2009 e 2010 na Holanda rural e Bélgica. Papa Francis também foi encontrado para ser um criminoso em ritos satânicos sacrifício de crianças, enquanto agindo como um sacerdote argentino eo bispo de acordo com um documento selado obtidos a partir dos arquivos do Vaticano. Um segundo registro datado 25 de dezembro de 1967 chamado de  Privilege Magisterial  foi dito para mostrar que cada novo Papa foi obrigado a participar de Nono Círculo Satanic Cult sacrifícios rituais de recém-nascidos, incluindo a beber seu sangue. Os documentos foram apresentados ao Tribunal ICLCJ por um proeminente funcionário do Vaticano e um ex-funcionário do Vaticano Curia. No mês passado, um investigador para a Polícia Garda Irish testemunhou perante os cinco juízes e 27 membros do júri que marca sobre os ossos de cerca de 796 crianças encontradas em um tanque séptico católica irlandesa Roman Nun indicaram que tinham sido mortos ritualmente. A testemunha afirmou que especialistas forenses haviam confirmado a decapitação e desmembramento dos bebês na vala comum se parecia com os sinais usuais de assassinato ritual ou o sacrifício de crianças. Um  documentário da BBC  exposto um escândalo de tráfico de crianças de cinqüenta anos pela Igreja Católica na Espanha. Mais de 300 mil bebês foram roubados de seus pais até a década de 1990. As mães foram informados de seus bebês morreram e foram enterrados em valas comuns. A Igreja Católica foi dito ter feito dólares $ 20 bilhões nas adoções.  Outra testemunha afirmou que eles estavam presentes durante as reuniões Papa Francis com a Junta militar durante a Guerra Suja 1970 da Argentina. De acordo com a testemunha, o Papa Francis ajudou tráfego 30.000 filhos de desaparecidos prisioneiros políticos em um anel internacional exploração infantil dirigida por um escritório no Vaticano. Uma especial ABC News  deu a entender que o diabo reside no Vaticano. "Os documentos dos arquivos secretos do Vaticano apresentados ao tribunal indicam claramente que, durante séculos, os jesuítas tinham um plano premeditado para assassinar ritualmente recém-nascidos sequestrados e depois consumir o seu sangue", o Procurador-Geral ICLCJ Tribunal disse que os cinco juízes internacionais e 27 membros do júri. "O plano nasceu de uma noção distorcida de obter poder espiritual da alma do inocente, garantindo assim a estabilidade política do papado em Roma. Esses atos não são apenas genocida mas sistêmica e institucionalizada na natureza. Desde pelo menos 1773, eles parecem ter sido realizada pela Igreja Católica Romana, jesuítas e cada Papa. " Uma investigação em curso e permanente foi organizada para investigar e processar outros envolvidos em possíveis crimes descobertos no Tribunal ICLCJ. Em 01 de setembro de 2014 um inquérito foi programada para começar direito, a Comissão Permanente para o Tráfico de Crianças e ritual de sacrifício. . Além disso litígio era esperado para acompanhar As 48 testemunhas identificaram seus autores como católica Papas Francis Bergoglio, João Paulo II e Joseph Ratzinger; Anglicana, Igreja Unida do Canadá e as autoridades da Igreja Católica, incluindo Cardeais e católica jesuíta Superior Geral Adolfo Pachon; do Reino Unido, a rainha Elizabeth eo príncipe Phillip, o arcebispo anglicano de Canterbury Justin Welby e Alta Corte de Justiça, o juiz Fulford; nos Países Baixos: os cardeais e membros da realeza holandeses e belgas, incluindo o príncipe herdeiro holandês Alfrink Bernhard, o rei Hendrick, consorte da rainha Wilhelmina da Holanda, Rainha Beatriz, seu pai e vice-Roy, o príncipe Johan Friso e sua esposa Mabel Wisse Smit, ex-ministros, topo homem da força do exército holandês e do Subsecretário do Raad van State; funcionários do canadense, australiano, Reino Unido e militar e os governos, incluindo os EUA  dos EUA CIA , além de ministros do governo proeminentes, juízes, políticos e empresários de os EUA, Bélgica, Holanda, Canadá, Austrália, França, Irlanda e Reino Unido. Prendam warrants sobre Povo contra Bergoglio et all foram emitidas em 19 de julho de 2014. Tribunal registros permaneceria fechado por agora de acordo com ITCCS comunicado de imprensa de ontem. O primeiro ICLCJ Tribunal considerou 50.000 crianças desaparecidas nativas do Canadá e terminou em fevereiro 2013 veredictos de culpa para 40 elites globais, incluindo a rainha Elizabeth. rainha Elizabeth eo príncipe Phillip foram condenados no desaparecimento de dez crianças nativas da escola residencial Kamloops em British Columbia em outubro 10 1964. pais não viram os seus filhos desde então. O litígio também parecia resultar em demissão do Papa Ratzinger. Evidência a partir desses casos poderiam ser encontrados em Kevin Annett de " Escondida No Longer ". Tribunal Internacional ICLCJ  tem mais de 450 Oficiais de Paz Common Law em 13 países, com 51 grupos fretados locais em funcionamento. Organizar fundos estavam disponíveis para os grupos de direito comum que desejam aplicar. Para contactar o  ITCCS , ICLCJ Tribunal, em Bruxelas, suas afiliadas locais, ou ser voluntário, e-mail ou por telefone: itccscentral@gmail.com, hiddenfromhistory1@gmail.com, 386-323-5774 (EUA) ou 250-591-4573 (Canadá ). Sobre o autor  Judy Byington, MSW, LCSW, aposentado, autor de "Vinte Duas Faces: Dentro da vida extraordinária de Jenny Hill e seus vinte duas personalidades múltiplas" ( www.22faces.com ) é uma terapeuta aposentado, Orador Público, Ativista e jornalista investigativo cuja artigos sobre anéis de exploração infantil internacionais têm sido citados em centenas de blogs e sites. O ex-Supervisor, Alberta Saúde Mental e Diretor Provo Família Counseling Center é o CEO da Criança Recuperação Abuso e Speakers Bureau ( www.ChildAbuseRecovery.com ). Se você tiver notícias dicas sobre questões de abuso infantil, por favor enviar e-mail Judy info@22faces.com. Você está convidado a assinar a nossa petição ao Congresso para uma investigação sobre o controle da mente das crianças pela CIA