Translate this Page
Arrebatamento
Você acha que o Arrebatamento da Igreja será:
No meio da Tribulação
Depois da Tribulação?
Durante a Tribulação
Antes da Tribulação?
Não sei responder!
Ver Resultados


Rating: 2.1/5 (361 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...





O Portal da Teologia 

Indice Mapa do Site Avançado
Busca O Portal

 Ychzek'el [Ezequiel] 9.3-4

O PORTAL DA TEOLOGIA

A marca de Cristo. 

3. Então a Glória do Deus de Yisra'el começou a se levantar sobre o keruv, desde onde ele estava até a entrada da casa. Ele chamou o homem vestido com roupas de linho, o qual tinha equipamento de escribas em sua cintura

4. Adonai lhe disse: "Vá por toda a cidade, através de toda a Yerushalayim, e ponha uma marca em sua testa como a de um homem [Cristo] que está suspirando e chorando por todas as práticas odiosas que estão sendo cometidas ali".  

 Atenção: O Arrebatamento da Irmã Vilma - Assista aqui em [Vídeos e Nova Era] Cuidado com a sua Alma! 

 

Graça e Paz em Cristo → A todos os Leitores → Sejam bem vindos → No nome de Jesus!  Comentem os artigos → Iniciem discussões sobre os temas → O Moderador. 06.04.2014 

 
OPorTAU.png

Atualize o seu navegador - novo domínio 

http://www.oportaldateologia.org/ 

O Portal:

 

 

oportal@oportaldateologia.org 

cliqueimagem 

OPorTAU.png 

Pedido de Oração  

 

Por Gospel+ - Biblia Online

 

 

 


O Portal da Teologia autoriza a republicação de todos os artigos do site na íntegra, desde que cite a fonte de origem.  


Estudo sobre a Santificação - Parte I
Estudo sobre a Santificação - Parte I

    Estudo sobre a Santificação - Parte I 

 

Prefácio  

A verdade sobre a santificação

 

Este estudo é parcial e introdutório e será desenvolvido em dois capítulos onde vamos conhecer um pouco sobre santificação a luz da Bíblia Sagrada, visto que o assunto deste estudo é extremo.

Não vou questionar teses ou traçar paralelos com outros estudos, nem criar um tratado teológico, mais sim esclarecer algumas questões relativas à forma de como a doutrina sobre a santificação deve ser inserida na vida cotidiana dos cristãos, independente das suas denominações; tanto porque a salvação é para todos e a santificação é o único meio de alcançá-la, após a conversão, isto é, após aceitar a Cristo como o salvador da sua alma.

Assim dúvidas até hoje não esclarecidas satisfatoriamente tais como: saber o que é; como se dá e qual é a importância da santificação e como atingir a santidade, serão respondidas, porque um dia também busquei por estas respostas e vi quão difícil é encontrar alguém disposto a responder com propriedade, ou seja, compromissado com a verdade e experiência própria; a experiência pode ser igual para todos, mas as sensações e reações são individuais.

Optei por usar uma linguagem formal para o entendimento dos leitores que não são obrigados conhecerem a termologia acadêmica da linguagem teológica, para compreender as doutrinas pertinentes ao Cristianismo; e este estudo foi proposto para você, o meu irmão de banco da Igreja e não para os intelectuais religiosos.

A importância deste ensino deve se ao fato de que ele deveria ser ministrado constantemente nas Igrejas numa linguagem simples, direta e objetiva, abordando mais a sua praticidade cotidiana do que o seu valor teológico, e que não é uma prática comum das Igrejas.

Todos os tratados teológicos sobre a santificação não diferem muito entre si, da mesma forma como as definições encontradas nos rodapés das Bíblias de estudo, bem como os ensinamentos produzidos pelos ocupantes dos púlpitos, se salvo alguma exceção, muito raro, um ou outro cristão arrisca exortar sobre a santidade nos termos usados no cotidiano; no sentido literal da palavra sob ótica da Sagrada Escritura.

Hoje este tema já é um tabu, a doutrina da santificação foi substituída por um novo tratado, tipo de manual de conduta cristã conhecido por "usos e costumes", e as suas regras variam conforme as tradições das denominações, legalizando alguns procedimentos bizarros, proibindo os que são permitidos e liberando os que deveriam ser combatidos; enquanto que a verdade sobre a verdade é omitida.

Com o liberalismo doutrinário, hoje quase todo tipo de assunto é comum nos circuitos evangélicos entre os crentes, nas portas das igrejas antes ou depois dos cultos, nos seminários, retiros, e outros eventos evangélicos; desde futebol, política, finanças, piadas, pornografia, sem contar as novidades dos programas televisivos que divide a preferência com os interneticos.

Mas, mesmo diante desta ojeriza explicita no meio da comunidade evangélica sobre a questão da santidade, vou abordar a doutrina da santificação neste estudo, em dois capítulos, usando duas linguagens diferentes, o primeiro numa linguagem mais teológica e o segundo numa linguagem simplificada com base na doutrina Pentecostal, que é a que está mais em conformidade com a Bíblia Sagrada.

A referência com o pentecostalismo tradicional como parâmetro principal é necessário para que eu possa atingir o objetivo principal deste estudo, que é focado mais para o despertamento espiritual, para que leitor possa traçar o seu paralelo sobre o conteúdo geral do estudo e tirar a sua conclusão.

A segunda parte poderá suscitar alguma problemática, porque os cristãos das igrejas tradicionais e reformista não conhecem a linguagem bíblica interpretativa dos pentecostais, que é inspirada diretamente pelo Espírito Santo sem a intervenção da teologia, ao passo que nas outras denominações os ensinos são inspirados pelo Espírito Santo acrescentado do saber teológico; segundo afirmam seus lideres. Estes irmãos terão alguma dificuldade de aceitar o estudo nesta visão, mas sobre isto explicarei melhor no momento oportuno.

O que importa é que todos tenham a oportunidade de conhecer a verdade, e este é o tempo ideal, e também que este ensino suscite voluntários preparados e destemidos, para desmistificar este assunto ainda um tanto obscuro.

Se começarmos tentar mudar o panorama causado pelas mentiras atraentes e as sedutoras propagadas bem aceitas entre os Cristãos de hoje; por uma vez depois de terem lido este estudo; o primeiro impacto já irá iniciar alguma mudança nas vidas das pessoas, e esta mudança inicial servirá como prova de que ninguém foi enganado; nem sequer poderá alegar inocência perante o juízo de Deus; certamente será de grande valia e trará bons frutos espirituais para cada um.

Se você sente que foi ou está sendo enganado por conta da incompetência do seu pastor, que não te instruiu no caminho que levaria a Deus, a culpa também é sua pela escolha consciente de aceitar viver no engano por questão de conveniência própria; e não será justo você atribuir a culpa exclusivamente a ele que certamente pagará pelas consequências da sua omissão; quando for chamado para prestar contas das suas obras.

Venho analisando vários estudos sobre santificação elaborados por Pastores e Teólogos renomados uns já em memória, outros ainda em atividade. Estes estudos são riquíssimos e foram elaborados com acompanhamento Bíblico, mas não encontrei um sequer que elaborado de forma clara e objetiva, ou melhor, dizendo, como ocorre este processo, passo a passo na vida do cristão; antes, durante e depois da conversão.

Nem sequer algum deles teve a ousadia de usar a sua própria experiência cristã e religiosa da sua iniciação na vida cristã para servir de exemplo para os cristãos; como se não tivesse experimentado a santificação, ou melhor, como se ela não tivesse ocorrida em sua vida secular e espiritual; e esta negligencia é comum, porque todos sabem que também pregamos o Evangelho de Cristo através das nossas experiências e a nossa maneira pessoal cristã de viver.

É publico e notório a existência de uma inexplicável resistência de se abordar assuntos obscuros, principalmente aqueles cujo tema envolve aquele que o faz; daí é que os falsos pastores e alguns especialistas Bíblicos adaptam os ensinos da Bíblia Sagrada aos seus modos de vida promíscuos e pecaminosos; e para justificar os seus próprios erros eles interpretam a doutrina de um modo que a Bíblia não revele o seu pecado e nem os dos seus asseclas.

Daí aqueles cristãos suscetíveis a viver no engano, e que também não querem ter os seus pecados revelados e perdoado por Cristo a luz da palavra de Deus e através da revelação do divino Espírito Santo, passam a seguir estes mercenários; formando denominações cujas; são as que mais crescem em números de membros no segmento religioso cristão.

Infelizmente isto acontece para cumprimento da palavra de Deus, a de que muitos serão chamados, mas poucos serão os escolhidos desta multidão; e esta minoria é a principal razão para o "Arrebatamento" se tornar realidade, e são para estes dos quais eu faço parte e alguns poucos que desejam fazer parte desta realidade, que este ensino está sendo elaborado.

Para despertar nos eleitos, o desejo de alertar e exortar àqueles que não coadunam com a doutrina da santificação.

Capítulo I

A Santificação a Luz da Bíblia Sagrada

Perspectiva Teológica

Nesta primeira parte abordarei o tema santificação numa perspectiva mais teológica.

A santificação é o processo pelo qual o Cristão se submete no inicio da sua conversão, que culmina com a santidade que é a consumação efetiva deste processo.

A palavra hebraica geralmente traduzida por santo é "kadosh" que corresponde à palavra grega "agios" que na origem significava simplesmente separado.

Podemos compreender então que santidade são separação e consagração.

Assim, a santificação é a separação do que era maculado, corrompido e inclui a remoção de qualquer mancha ou sujeira que seja contrária à santidade da natureza divina.

** Quando aceitamos ao Senhor Jesus como o Salvador da nossa alma; declaramo-nos arrependido por termos praticado atos que nos separava de Deus, chamado pecado, (ocorre à separação); e após isto começamos a abandonar as velhas práticas até sermos batizados nas águas como confirmação do nosso arrependimento (ocorre à transformação); livre do domínio da morte, daí inicia se a nossa conversão (ocorre a justificação); justificados diante de Deus através da consagração do nosso corpo, alma e Espírito, (inicia a santificação) que atingirá a sua totalidade quando estivermos de posse do nosso novo corpo revestido da incorruptibilidade e imortalidade após transcendermos este corpo mortal no Arrebatamento.

Este ensino diga se que seja apenas uma introdução do assunto em si, visto a sua vasta dimensão.

Há principio, diga se de passagem que por ser um tanto controverso, o tema santificação faz surgir inúmeras questões sobre o seu lado prático, com interrogações do tipo: O que é, e como se promove a santificação? Se através do jejum; oração; leitura bíblica; adoração; obediência; ou separar se dos ímpios! 

A teologia sistemática, que engloba ramos como a teologia doutrinal; a teologia dogmática e a teologia filosófica; é a disciplina da teologia cristã que formula uma descrição ordenada, tradicional e coerente da fé e crenças cristãs. Ela reúne as informações extraídas da pesquisa teológica, organiza-as em áreas afins, explica as aparentes contradições e com isso fornece um grande sistema explicativo diferentemente da teologia histórica ou da teologia bíblica que trata da doutrina da salvação humana define: Santificação ou, em sua forma verbal, santificar, significa literalmente o processo pelo qual se separa algo ou alguém para um uso; um propósito religioso, ou seja, tornar sagrado ou consagrar.

Os teólogos através soteriologia também elaboram teses sobre a Doutrina da Santificação com base nas suas linhas teológicas, e os conceitos de santidade são definidos em múltiplas dimensões tais como: fenômeno espiritual que é a expressão da busca do divino; no teológico, a manifestação de Deus no mundo; no religioso, um momento privilegiado da relação com o sobrenatural; no social, ela é um fator de coesão e identificação dos grupos e das comunidades; no institucional, ela está no fundamento das estruturas eclesiásticas e monásticas; no político, enfim, ela é um ponto de interferência ou de coincidência da religião e do poder.

Para representar as concepções dos teólogos vou citar alguns exemplos, como se segue:

Conforme o Dr. Shedd, a Santificação tem quatro fatores fundamentais:

1. Ela depende da união entre o remido e o Redentor.

2. A santidade deve caracterizar o padrão de vida, produzir um hábito de santidade deve     ser  desafio prioritário do ministério

3. Sendo um processo, não deve ser encarada como um alvo que algum dia alcançaremos nesta vida terrestre.

4. Observa a realidade escatológica.  A segunda vinda de Cristo promete completar o que a primeira vinda começou no inicio do primeiro século. Shedd, Russell P. Lei, Graça e Santificação, 2º edição, Ed. Vida Nova, Pág. 72. Observe que o estudioso substitui o nascimento virginal de Cristo pela sua primeira vinda, e se for assim termos a terceira quando se iniciará o Reino de Deus na terra, porque antes haverá o Arrebatamento. É um erro comum na teologia.

O Dr. Scofield apresenta três significados para santificação: 1. Posicional 2. Experimental 3. Consumação, Ele considera que posicional mente o crente é santo, mas que, experimentalmente, ele está sendo santificado progressivamente.

O teólogo Millard J. Erickson na sua obra Introdução à Teologia Sistemática define da seguinte forma: A santificação é a obra continua de Deus na vida do crente, tornando-o realmente santo. Por ‘santo’ entende-se aqui como o portador de uma verdadeira semelhança com Deus. A santificação é um processo pelo qual a condição moral da pessoa é moldada de acordo com sua situação legal diante de Deus Pg.: 417, §1º.

Emery Herbert. Bancroft define o tema santificação em três fases:

1. Inicial: A fase progressiva, ele define como: A justificação difere santificação no seguinte: Inicialmente ela é um ato instantâneo e que não comporta progressão; esta é uma crise que visa a um processo, um ato que é instantâneo, mas que ao mesmo tempo traz em si a idéia de desenvolvimento até a consumação. Estamos sendo transformados de um grau de caráter ou de glória para outro. 2: Co: 3: 18.

2. Progressiva: A santificação é progressiva porque somos exortados a continuar progredindo cada vez mais, nas graças da vida cristã. Existe realmente o aperfeiçoamento de santidade. 1 Ts: 3: 12; 4:1, 9: 1.

3. Final: A santificação é o dom de Deus à igreja dado aos pastores e mestres, tem o propósito de aperfeiçoar os santos na semelhança de Cristo até que, finalmente, atinjam o padrão divino. Ef: 4: 11-15; Ef: 3: 10-15. BANCROFT, Emery. Herbert - Teologia Elementar - 3º Edição 2001, Ed. EBR, Pg. 262.

Se compararmos estas, com as versões de outros teólogos, obteremos outras diferentes interpretações, dado ao fato de cada um ter a sua própria linha teológica doutrinária de analisar os textos bíblicos, com as suas visões contextuais próprias, e transformando estas informações em mensagens teremos resultados hermenêuticos completamente divergentes entre si.

Estas informações iniciais formam opiniões diversificadas, altera o conteúdo final das hermenêuticas geradas, e estas definições podem confundir qualquer cristão, membro de qualquer das denominações, salvo o caso dessas hermenêuticas serem reinterpretadas para uma linguagem formal e menos teológica, pelos seus lideres.

Este fator ainda ocorre na Igreja, quando doutrinas desta importância, são apresentadas no inicio da fé cristã do membro, de forma ininteligível e informal do ponto de vista do senso comum cristão, torna-se um assunto obscuro, dificultando a compreensão que ele [cristão-membro] necessita para poder entender o significado da mensagem e aprender a praticar o que realmente foi absorvido da mensagem que ela está transmitindo.

Além das definições acima citadas, pode-se também consequentemente considerar a santidade como o lugar de uma mediação bem sucedida entre o natural e o sobrenatural, o material e o espiritual, o bem e o mal, a vida e a morte.

Quantos cristãos conseguiriam compreender definições como estas mencionadas? Não obstante, as denominações também têm as suas linhas hermenêuticas de interpretação teológica, que difere umas das outras. Neste contexto pela falta de pertinência dos ministros evangélicos em explanar o assunto, e quem se prejudica com isto são os próprios membros das Igrejas que não têm a quem recorrer para sanar suas dúvidas.

A Bíblia Sagrada se explica por si só; mas, muitos são os quem tem dificuldades em compreendê-la, logo, estes necessitam dos conhecimentos hermenêuticos dos seus lideres; eu pessoalmente também um dia já estive incluso neste grupo, por isto compreendo as dificuldades enfrentadas pelos tais.

Assim sendo, espontaneamente resolvi compartilhar um pouco do meu conhecimento bíblico; por ter um compromisso com a verdade. Enganadores já têm demais; portanto solidarizo-me com os meus irmãos que podem estar sendo enganados, por nada saber ou por desconhecer a verdadeiro teor da mensagem que a santificação transmite; e os seus princípios básicos necessários, para não serem reprovados diante de Deus; exceto os que já conhecem estas verdades, mais se furtam do dever de praticá-la, por conveniência própria.

A Igreja de Cristo é o publico alvo das nossas interpretações hermenêuticas, portanto temos a obrigação de dirigirmos a ela desprovidos dos nossos academicismos, precisamos ser sucintos e usar expressões que os nossos irmãos compreendam.

Ainda na teologia cristã, a santificação é o processo de aperfeiçoamento gradual do ser humano em que ele se aproxima do caráter divino e afasta-se do pecado, cujo fim é alcançar a salvação e, portanto, a santidade.

A teologia também através da teoria científica procura estruturar a doutrina da santificação, definindo o que é ser santo, e o que esta palavra significa, descreve, e designa que ela só é alcançada somente pela graça, sem vincular se a lei. [Mandamentos Bíblicos].

Diante da problemática em torno do tema "Santificação" e da dificuldade decorrente das diversas linhas de interpretação bíblica, eu pergunto: - por elaborar um estudo como este; alguém pode ser mais santo que outro?

Obviamente que não, o Espírito Santo age onde falta o conhecimento humano

Mt: 1: 5 Naquele tempo falou Jesus, dizendo: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos. "

Como podemos observar nenhuma das definições acima mencionadas, se aproximam de uma resposta objetiva para as persistentes perguntas, como por exemplo:

Como é ou deve ser o dia a dia de uma pessoa cristã que está buscando a santificação?

Ou o [dia] de quem, e como esta busca implica na vida secular [cotidiano]? 

Se ela é espiritual, física, secular ou se abrange todas? 

Ou onde, como e quando inicia se o processo para se atingir a santidade neste plano físico e quando ela atinge a sua plenitude? 

Qual a sua importância para o cristão?

Uma coisa eu asseguro, que é extremamente relevante para os cristãos este ensino para e seu aprendizado e prática; eu não poderia deixar de elaborar um estudo que o abordasse uma doutrina valiosa como esta, porque nós os cristãos precisamos compreender como ocorre à santificação [processo de santidade], e por que e quando somos denominados santos; para não incorrer nos erros que vem sendo cometidos pela igreja no decorrer do tempo, bem como os erros dos muitos seguimentos religiosos tais como o legalismo, formalismo o tradicionalismo e o universalismo.

Na segunda parte vou abordar a santificação na maneira como ela deve ser idealizada e praticada, porem na visão da doutrina Pentecostal, [Bíblica] que foi onde todos estes questionamentos foram solucionados, e que inseri na minha pratica espiritual; hoje não questiona mais os ensinos com que fui iniciado; terei como testemunha fiel o Espírito Santo que me deu o privilegio que tenho hoje quando comecei a buscá-lo no inicio da minha conversão e com ajuda espiritual do meu primeiro Pastor.

Observação: Quando menciono “doutrina pentecostal”, não estou me referindo a alguma inovação ou modelo diferente de ensino, apenas enfatizo que somente alguns poucos pastores pentecostais ainda ensinam de forma genuína sobre a santidade ou a santificação, conforme os mandamentos bíblicos, e com a unção do Espírito Santo. Na maioria das denominações, esta doutrina não é genuína como devia ser!

Não é para traçar paralelos nem questionar outras religiões, mas como ilustração uso como exemplo a visão do catolicismo, que para esta corrente teológica, são santos; todos aqueles que foram convertidos e salvos por Jesus Cristo; porém que conversão é esta, ninguém sabe explicar.

Por converter, entende-se, como tornar adepto de uma religião, seita, filosofia, e outros, e Cristo era um homem que ensinava os mandamentos do Seu Pai! A não ser que se aplique o termo "seguidor", mas, seguir não significa regenerar-se, mudar a conduta de vida!  E a conversão no sentido bíblico significa mudança de hábitos.

Em Igrejas como a Católica, a Ortodoxa e a Anglicana, e outras denominações protestantes, santo; são pessoas reconhecidas por virtudes especiais que podem receber oficialmente o título de Santo.

Esse título é uma espécie de "certificado de garantida" de que a pessoa está na graça de Deus (no céu), mas a falta desse reconhecimento formal não significa necessariamente que o indivíduo não seja um santo.

Em muitas Igrejas Protestantes, onde não há qualquer processo de canonização, a palavra é muitas vezes usada mais genericamente para designar qualquer pessoa que é cristã.

A Bíblia Sagrada explicitamente nos ensina como e porque devemos persistir por alcançar a santificação vejamos:

 ▶ por quê?

Resposta ▶ para se ter uma vida consagrada

Condição ▶ Morto para o pecado: 21

Rm 6:2 De modo nenhum. Nós, que esta­mos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? 

Nada justifica continuar pecando. Morremos para o pecado quando aceitamos a Cristo como salvador da nossa alma. Se voltarmos às pratica antigas seremos recompensado com a mort19 Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?  21

" Rm 6:11 ▶Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor.

Deus anula a nossa morte fazendo nos vivos através do Seu Filho

Os discípulos de Cristo assim como nossos irmãos da Igreja primitiva também foram como nós, mas fizeram como o versículo abaixo relata, e nos deixaram seus exemplos como lição por nós a ser aprendida, e se não nos enquadramos dentro destes dois versículos ainda estamos vivendo no corpo do pecado e sujeito a morte da alma. 

Gl 5: 24 E os que são de Cristo Jesus cru­cificaram a carne com as suas paixões concupiscências.

Cristo sacrificou seu corpo por nós, temos que sacrificar nossa carne para os desejos que outrora nos separava de Deus sejam expugnados.

2: Comunhão com a morte de Cristo:

Rm. 6: 6 Pois sabemos isto, que o nosso velho homem foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, a fim de não servirmos mais ao pecado.  

Se continuarmos com os mesmo hábitos do antigo velho homem, o nosso corpo do pecado ainda continua vivo a fim de continuarmos escravizados, servindo ao pecado.

▶Rm 8: 36 Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia todo; fomos considerados como ovelhas para o matadou­ro.

Devemos entregar à morte a nossa carne todo dia, e assim como as ovelhas estão sujeitas a morte a qualquer instante, assim devemos estar; porque estamos expostos as praticas que abandonamos, e assediadas por elas o tempo todo. 21

▶ 2 Co 4: 11 e assim nós, que vivemos, esta­mos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste lambem em nossa carne mortal."

Se já estamos vivos, devemos continuar sujeitando-nos a morte resistindo ao pecado para que Cristo se manifeste plenamente no nosso corpo mortal.  

Gl 2: 20 Estou crucificado com Cristo, e já não vivo, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.

Aqui está a resposta da pergunta: Se ela é espiritual, física ou se abrange ambas? A santificação abrange ambos, carne e Espírito, [corpo e alma] não é possível viver no Espírito se ainda está morto no pecado. 

Cl 2: 20 Se estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos sujeitais ainda a ordenanças, como se vivêsseis no mundo. 

Se já experimentou a conversão porque ainda continua com os mesmos hábitos comuns como quando era do mundo? 

▶Cl 3: 3 Pois morrestes, e a vossa vida está oculta com Cristo em Deus. 

▶2 Tm: 2: 11 Se estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos sujeitais ainda a ordenanças, como se vivêsseis no mundo.

Se já aceitamos a Cristo, mas ainda não abandonamos o pecado, nossa vida continua exposta ao maligno.

Tm 2: 11 Fiel é esta palavra: seja morre­mos com Ele, também com Ele viveremos;

Temos certeza que já o morremos para viver com Ele? Aqui prevalece a certeza da nossa salvação!

: Submissão à vontade divina:

▶ SI 40: 8 Deleito-me em fazer a tua vonta­de, ó Deus meu; a tua lei está dentro do meu coração.Se estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos sujeitais ainda a ordenanças, como se vivêsseis no mundo.

Ter prazer em fazer a vontade de Deus

4: Oração, essencial à submissão: 

SL 143:10 ▶Ensina-me a fazer a tua vonta­de, pois és o meu Deus; guie-me o teu bom Espírito por terra plana. 

A oração vence os desejos e nos ajuda a fazer a vontade de Deus.

5: Estabelece uma relação divina:  

Mt: 12: 50 Pois todo aquele que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe.  

A nossa própria renuncia nos assegura o direito de sermos da família de Deus em Jesus Cristo.

6: Cristo, o exemplo perfeito de submissão: 

"Jo: 5: 30 Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma; como ouço, assim julgo; e o meu juízo é justo, porque não procuro a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

Cristo submeteu se a vontade do Pai é um mandamento que temos que seguir se não jamais veremos a Deus, que só possível através de Cristo.

7: Conduz ao conhecimento espiritual:  

Jo: 7: 17 Se alguém quiser fazer a vontade de Deus, descobrirá se o meu ensino vem de Deus, ou se falo de mim mesmo.

Não tem outro meio, sem obedecer a Deus, negamos o seu ensino.

8: Requer-se obediência de todo o coração: 

Ef: 6: 6 Não obedeçais a vossos senhores apenas quando estão olhando, só para agra­dar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus.

Obedecemos à vontade dos homens para agradar aos seus anseios ou por obrigação ou subordinação, mas a Deus temos que obedecer por amor.  

Hb: 12: 14 Segui a paz com todos, e a santificação,  sem a qual ninguém verá o Senhor

Este versículo é a chave referencial do estudo; e todas as teorias teológicas e doutrinarias caem diante deste texto, porque por maiores que sejam as obras, por maior que seja o sacrifício sofrido pelo empenho na obra de Cristo, o domínio dos dons disponíveis, tudo se tornam nulos diante da "santificação".  

O "Arrebatamento" dará cumprimento para este versículo, e a santificação fará o diferencial entre aqueles que sim dos que não se santificaram no tempo da graça de Cristo. Veja: 

Ap: 1:7 Eis que Ele vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém. 

O mais grave porem neste caso será para os que não alcançarem este dia e forem chamados antes e a sua vida estiver irregular; não haverá tempo suficiente para um concerto.

A parábola das virgens prudentes não foi citada por acaso, por Cristo.

CONSAGRAÇÃO:

Chamado à consagração pes­soal: 

1 Cr 29: 5 para as obras de ouro e para as de prata, e para todas as obras dos artesãos.

Quem está disposto a consagrar-se hoje ao Senhor? As obras não têm valor se quem a produz não consagrar-se ao Senhor.  

Rm: 12: 1 Portanto, rogo-vos, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racio­nal.

Temos uma noção de errada de culto. Ir a Igreja e participar da liturgia. Errado. Santificar o corpo antes, e depois apresentá-lo a Deus como culto racional não emocional, isto sim é o correto. Podemos ir a Igreja, participar da liturgia e sair com os mesmos pecados que antes, este é o sacrifício vão. 

▶Tm: 20 ▶Ora, numa grande casa, não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de madeira e de barro; e uns, na verdade, para uso honroso, outros, porém, para uso desonroso.

▶21 ▶ Se, pois, alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e útil ao Senhor, preparado para toda boa obra.  

Para Deus o que importa não é o vaso pelo seu valor, nem como ele será usado, mas sim o estado como se encontra o seu interior; ele pode ser de ouro e estar sendo usado de forma desonrosa; ao passo que um vaso simples, de madeira ou barro, mas antes purificado, este será para honra; e este vaso nada mais é que o nosso corpo. Como está o nosso interior, uma vez que já estamos sendo usado?

Abnegação

Rm 8: 13 Pois se viverdes segundo a car­ne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis

As obras do corpo novamente são mencionadas como responsáveis pela morte do Espírito, portanto são as atitudes que o corpo físico produz, e é o analisaremos a fundo na segunda parte.

Não há hermenêutica alguma que interprete este versículo de outra forma, e isto eu desafio.

Ainda sobre a carne e o Espírito Santo, elaborei uma exegese sobre o livro de romanos capítulos 8 dos versículos 5 - 8, trabalhando diretamente com o texto original (grego), onde o apóstolo Paulo é enfático em dizer o que agora estou afirmando sobre o que o texto diz que implica na santificação. 

Recompensa prometida  

1Ts 5: 23 O mesmo Deus de paz vos santifique completamente. E todo o vosso espírito, alma e corpo sejam plenamente conser­vados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.

A santificação deve ser completa. Corpo, alma e Espírito devem estar santificados, você santifica o corpo e alma, revendo alguns conceitos tais como:

(separação); (transformação); (justificação) (santificação), conforme o § acima sinalizados com**

O erros que cometemos no nosso cotidiano secular que afeta diretamente a nossa vida espiritual e impede a santificação chama: pecado; e se você quiser saber um pouco sobre O que é o: “Pecado”? Leia aqui em  O que é o: "Pecado"? Qual é a sua origem?

 

  Porta fundo da agulhaA santificação é uma porta muito estreita como a "fundo da agulha", porém é mais fácil passar um camelo por ela do que impio! avançe para parte 2

 

 

Revisão Junho 2016 

 

 

Em Cristo.

Shalon.

Por Cornelio A.Dias  

 

"Feito perfeito, é imperfeito; como criação, o meu eu; natureza humana! C. A. Dias.

 

              

 

 

Licença Creative Commons
Estudo sobre a Santificação - Parte I do  Teologo Cornelio A.Dias está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Não Comercial - Sem Derivações 4.0 InternacionalBaseado no trabalho disponível em http://oportaldateologia.org/estudo-sobre-a-santificacao-parte-i  
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em mail  oportal@oportaldateologia.org

newline oportal

 

Editoriais

As taças da ira de Deus  estão prestes a se derramarem sobre a terra! 

Quero fazer um breve relato sobre esta chamada em "Flash”, visto que não vejo a necessidade de escrever um artigo específico sobre o título, bem como também não vou citar referências bíblicas que corrobore com este assunto.

 

Os elementos ardendo  

em breve se fundirão!

Cuidado!

Um corpo terrestre, 

se chocará contra a terra e 

causará repentina destruição. 

 

Leia Mais imagem

 

A falsa doutrina do pré-tribulacionismo  

Qual biblicamente é a mais viável para você? A Meso-tribulação [Arrebatamento no meio da tribulação] ou a Pós-tribulação? [Arrebatamento depois da tribulação] Em qual delas acontecerá o Arrebatamento da Igreja! Será antes da tribulação? Reflita! Leia Mais  imagem

 

 

  Reflexão do O Portal

         2013

O oitavo Rei foi eleito.

A besta que era e já não é, é também o  oitavo rei, e é dos sete, e vai-se para a perdição Apocalipse cap. 17 - 11.

E o sangue de muitos inocentes ainda haverá de ser derramado.              

Guerreiros feridos são condecorados com Láureas de sangue.

Os soldados do Exército do Rei dos Reis, porém herdarão uma coroa de ouro, e a vida eterna.

A Nova Ordem Mundial está chegando e virá para cumprir o seu dever a rigor.

Quem quiser se livrar dela terá que aceitar a sua marca. 6 6 6 em troca da sua alma.

Revelação 13. 1 – Vi uma besta que saia do mar, [...] 2 [...] O dragão lhe deu seu poder, seu trono e grande autoridade.

4. Eles adorarão o dragão, porque dera a sua autoridade à besta [...] 7. Foi-lhe dado poder para guerrear contra o povo santo de Deus e derrotá-los.

10. “Se alguém há de ir para o cativeiro, para o cativeiro irá! Se alguém há de ser morto à espada, morto à espada haverá de ser!”

Yeshua.

 O ultimo, o Rei dos reis é o próximo, e está vindo, espere por Ele mesmo que  isto lhe custar a própria vida.

"Permaneça fiel até a morte, e Eu lhe darei a Vida como Coroa. Revelação 2.10.

Yeshua".

 

Leia o Artigo: O sétimo milênio e o fim da humanidade.

Oriente-se.

 

Por: Cornelio A.Dias

Março de 2013.

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 TAUEZEQ94_tsp.png

 

 

 

  Ler um   é:

Armazenar Informações;

Desenvolver a Intelectualidade;

Ampliar os Horizontes;

Compreender o Mundo;

Comunicar-se com o Próximo;

Escrever Corretamente;

Relacionar-se melhor com o Outro!

 Ler uma  é:

Armazenar Ensinamentos;

Desenvolver o Conhecimento;

Ampliar a Espiritualidade;

Compreender a DOUTRINA;

Comunicar-se com JESUS

Escrever a VERDADE;

Relacionar-se melhor com DEUS. 

IMAGEM TEXTO

Ore conosco ao som de belos louvores;

Chore aos pés feridos do Pai!

A tristeza logo passa, não demora.

Ele vos envolve e vos consola, 

Em seus braços, faz-vos descansar.

O Portal

Abra esta Porta de Meditação, Louvor e Oração,

clique aqui em:

Bíblia Online e Seleção de Louvores

e deixa Deus falar ao seu coração!

IMAGEM TEXTO

  

TAU_ORIGINAL_PORTAL.png

 

 

 Leia Mais imagem 


Com: Paz seja convosco
Graça e Paz
A Paz do Senhor
Paz da parte... do Senhor
Paz de Deus
Shalom
Shalom Adonai
Bom dia; Boa Tarde; Boa Noite Irmão
Nenhuma da anteriores

Feedjit

 

Download

Descrição:

Bíblia Sagrada Digital

MediaFire – Down

 Jogo Show do Cristão

MediaFire – Down

Biblia Sagrada + jogo show do cristão + caminho estreito

MEGA – Down 

topo